50 PAÍSES (+5)


É com entusiasmo que falo de viagens.
Sempre.
Mesmo quando tenho fome ou sono.

Quando fiz 20 anos morava em Barcelona e estava no auge da vida louca. Prometi a mim própria que os dez anos seguintes iam ser épicos. Fiz uma lista de objectivos, uns mais complicados que outros. Um dos mais improváveis era: Visitar 50 países até aos 30 anos.
Nesta altura, era mesmo improvável visto que só tinha estado em quatro países.

Nesse verão, o último como estudante, juntei-me a uns amigos e de mochila às costas com os últimos euros que poupei em Barcelona viajei por lugares que moravam nos meus sonhos. Andámos de gôndola em Veneza, perdemo-nos no Grand Bazaar de Istambul, mergulhámos no mar Adriático quando Dubrovnik nem era popular, tive o meu primeiro contacto com muçulmanos em Sarajevo, vi um pôr do sol incrível em Belgrado, apaixonei-me por Praga e passámos horas dentro do comboio. Isto e muito mais. Muitos mais lugares, muitas mais experiências.
Esta viagem era um sonho de criança, quando eu nem sabia o que era viajar. Deixou marcas profundas e uma vontade insaciável de conhecer e absorver mais do mundo. Queria ir mais longe.

Durante três anos fui adiando a grande viagem, às vezes por falta de dinheiro outras por falta de companhia. Fui fazendo pequenas viagens na Europa, principalmente capitais. Mas a vontade de ir lá para fora continuava a crescer. Até que decidi que, de todas as maneiras, estava na hora de fazer outra grande viagem. Tinha 24 anos e o Sudeste Asiático era o destino.
Fui sozinha e foi incrível. Estive três meses a rebentar de felicidade entre templos na Birmânia e Cambodja, praias paradisíacas na Tailândia, na calma de Laos e na beleza infinita do Vietname. No meio disto ainda tive tempo de absorver Singapura e o Dubai.
Nos meses que se seguiram comecei a planear uma viagem de dois meses pela América do Sul e um roteiro de 15 dias pela Europa para celebrar os meus 25 anos.

Fui da loucura do Carnaval do Rio à calmaria de Paraty passando pelas magníficas Cataratas de Iguaçu, apaixonei-me pela costa uruguaia, dancei tango em Buenos Aires, percorri largos quilómetros entre a Natureza no Chile, subi a Machu Picchu e fiquei de boca aberta durante dias seguidos no Salar do Uyuni na Bolivia e no Deserto de Atacama no Chile.
Voltei para Portugal já com a Ásia na cabeça. Queria mais e mais tempo.
Planeei-me bem e passado uns meses fui celebrar o meu 26º aniversário na Islândia, uma das viagens mais impressionantes que fiz. Dois meses mais tarde, partia em direcção a Hong Kong e Macau.
Durante quatro meses perdi-me e encontrei-me vezes sem conta. Do assombro de Hong Kong à excentricidade de Macau, dos templos da Indonésia às paisagens surreais das Filipinas, da famosa Malásia ao não tão famoso Brunei, do fabuloso Sri Lanka ao místico Nepal, onde estive dez dias num retiro de silêncio.

Em três anos viajei mais do que em toda a minha vida e estava eufórica. Contudo precisava de descansar e absorver todas as aprendizagens que tive. Consigo processar melhor à distância e decidi que este ano tinha de ser menos tempo e mais tarde. Em Abril deste ano voltei aos Balcãs, a lugares que visitei no meu querido interrail. Fui a outros lugares que queria conhecer e a meio da viagem atingi uma marca que me orgulho bastante. 50 países.
A improbabilidade de há sete anos virou uma realidade.
A Albânia foi o 50º país e falarei dela mais tarde, até porque adorei viajar por lá.
Depois disso já fui a mais cinco países.

Há lugares que, efectivamente, me marcaram positiva ou negativamente.
Há lugares que quero voltar pois souberam-me a pouco.
Há lugares que me serviram bem, uma vez.

Há uma frase que diz Nunca voltes a um sítio onde já foste feliz, discordo completamente.
 Já repeti imensas cidades e não me importo, a experiência é sempre diferente e enriquecedora.

Apesar de ter atingido esta meta aos 27 anos não fiz o upgrade do objectivo.
Quero conhecer todos os países do mundo leve o tempo que levar.

Para celebrar este número partilho convosco uma fotografia minha em cada país onde já estive.
Na preparação deste post percebi que há muitos países que não tenho uma foto decente ou que dê para entender que estou no sítio, ainda assim partilho na mesma.
 A legenda lê-se no sentido dos ponteiros do relógio.

xxx

Inglaterra
Albânia : Alemanha : Birmânia : Áustria

Bolívia : Bósnia Herzegovina : Brunei : Brasil

Chile : Croácia : Emirados Árabes Unidos : Républica Checa

Eslováquia : Eslovénia : Filipinas: Espanha

França : Gibraltar : Holanda : Grécia

Hong Kong : Hungria : Indonésia : Islândia

Irlanda : Itália : Laos : Kosovo

Macau : Macedónia : Malta : Malásia

Marrocos : Moldávia : Nepal : Montenegro

Perú : Roménia : Sérvia : São Marino

Singapura : Sri Lanka : Tailândia : Suiça

Ucrânia : Uruguai : Vietname : Vaticano

Argentina : Bulgária : Cambodja

Turquia : País de Gales : Portugal




Share:

5 comentários

  1. Olá! Admiro muito a tua experiência pois gostava muito de fazer igual mas o problema é sempre o dinheiro... Podes dizer-me como te conseguiste sustentar esses meses todos? Ias trabalhando nos vários locais que ias visitando ou já tinhas todo o dinheiro junto? Tens ideia de quanto gastaste? Podias escrever sobre isso! Ia ajudar muitas pessoas! Beijinhos e obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra, obrigada pelo teu comentário. Já escrevi um post sobre o dinheiro e como faço a gestão das minhas contas. Quando fui para a Ásia a primeira vez tinha juntado bastante dinheiro (nos três anos que trabalhei e fiz poucas viagens) e não gastei tudo. Quando voltei a tempo do verão trabalhei 7/8 meses e juntei mais para a América do Sul, e assim sucessivamente. Até agora ainda não trabalhei nos lugares por onde passei, juntei sempre o dinheiro antes e sou poupada nas escolhas que faço enquanto viajo. Assim consigo viajar mais. Faço as contas viagem a viagem, tenho uma ideia geral de quanto gastei nestes últimos sete anos. Obrigada e beijinhooos

      Eliminar
    2. Muito obrigada Ana, vou ler o teu artigo! Beijinhos e continuação de boas viagens! **

      Eliminar
  2. ❤❤ sinto um orgulho do tamanho do mundo de seres minha filha e de algum modo viver um pouco estas tuas viagens algumas com alguma preocupação mas normal para uma mãe mas adoro todas as fotos ,OBRIGADA por me teres escolhido como tua mãe amo te❤❤❤❤❤ beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Que íncrivel!! O tanto de historías e as experiências vividas nesses países todos com certeza vão ficar marcados pra sempre na sua vida. Eu nunca pensei em criar meta de tantos países até certa idade, mas confesso que adoraria chegar pelo menos nos 30 países antes do trinta. Tô com 26 anos agora e no país número 25, então acredito que até vou passar dessa ''meta''.
    Adoro teus textos por aqui e te desejo ainda mais um montão de viagens por esse mundo a fora.
    Beijos!

    ResponderEliminar

i heart you.

K.

© K A R K O V A | All rights reserved.