COLECCIONANDO NATUREZA




A capital croata recebeu-nos calorosa e solarenga criando uma expectativa de que a viagem ia ser toda assim. Explorámos as ruas sem grandes planos, felizes com as surpresas que fomos encontrando.

Divertimo-nos no alto da torre Lotrscak com uma vista surpreendente sobre a cidade e do famoso telhado da Igreja de São Marcos, assustámo-nos com o tiro do canhão mesmo sabendo que ele ia disparar, encantei-me com o mirador que me fez lembrar Valparaíso, surpreendemo-nos com um túnel que era um santuário (Kamenita Vrata), saímos do museu Broken Relationships com o coração partido, encantámo-nos com as portas e janelas que fomos encontrando, relaxamos num restaurante na Tkalčićeva, a rua mais cool de Zagreb e apanhámos sol num dos muitos parques verdes da cidade.
É uma cidade que se gosta facilmente mas não prende, por isso seguimos viagem sem apego.

 

 

 
 
 















Partimos bem cedo em direcção a um dos parques mais bonitos da Europa, Plitvička Jezera National Park. A viagem durou cerca de duas horas e às 9h30 já estávamos a entrar no parque.

O preço da entrada é de 110,00 Kn (cerca de 14 euros) de 1 de Abril a 31 de Junho. O preços variam conforme a época que se vai. O parque é composto por vários trajectos ao longo de 18 km, que se ajustam ao tempo que as pessoas têm disponível para explorar o local. 

Durante algumas horas entregámo-nos às cores dos lagos, às cascatas, à paisagem verdejante, à calma que o lugar transmite. A felicidade apoderou-se de nós no meio de tanta beleza e é um daqueles lugares que não se esquece. É fácil demorarmo-nos por lá, seja a respirar o ar puro, a fotografar cada paisagem, a procurar peixes, a percorrer as passarelas de madeira ou a suspirar pelas diferentes tonalidades da água.

Gostaria de voltar em duas ocasiões: com sol e com gelo. A diferença deve ser abismal mas encantadora.













 










Mas o tempo continuou cinzento e Zadar estava a umas horas dali. Decidimos partir para chegar de dia àquela cidade croata. O melhor que tinha lido sobre ela era sobre duas instalações de um arquitecto croata Nikola Basic: Saudação ao Sol e o Orgão Marítimo por isso não tinha grandes expectativas. 

Mas Zadar é tão mais que isso. Ficámos num hostel bem no centro da cidade amuralhada, rodeadas de pequenos restaurantes e lojas. E onde tudo acontece. 
Apaixonei-me pelas ruas apertadas, pelas praças e pela influência romana. Caminhámos por toda a cidade como se ali tivéssemos vivido a vida inteira. O sol abriu e conseguimos ver o pôr-do-sol mais bonito e famoso da Croácia, sentadas na escadaria do Sea Organ. Já com o sol a desaparecer no horizonte saltámos para cima do Sun Saludation que é um grande círculo de placas de vidro com células solares que absorvem a luz ao longo do dia e se acendem quando a noite cai.
Embaladas pelo contraste das cores do céu e da instalação agradecemos por mais um dia incrível, em que a rainha foi mesmo a Mãe Natureza.

Apesar de ter adorado Zadar estivemos o tempo que nos pareceu suficiente para a desfrutar. 
Daqui seguimos para outro parque nacional a meio de caminho para Split, Krka National Park.


 







Share:

1 comentário

  1. awww adorei "conhecer". as tuas fotos sao fantasticas! como e com que maquina tiraste aquelas semi dentro de agua?

    https://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

i heart you.

K.

© K A R K O V A | All rights reserved.