FILIPINAS #4 // PALAWAN


Sabem aqueles sonhos dos quais não queremos acordar?
É assim Palawan, a minha ilha favorita nas Filipinas.

Voei de Cebu para Puerto Princesa via Manila com um atraso de três horas. O meu objectivo era seguir directamente para El Nido e com sorte consegui apanhar a última van que seguia para o meu destino.  O aeroporto é mais pequeno que a Gare do Oriente e no parque de estacionamento estão uma série de vans que seguem para vários destinos.
O caminho é atribulado, velocidade furiosa em curvas apertadas na selva numa estrada que variava entre gravilha e alcatrão meio aldrabado (na altura que fui as estradas estavam em obras).
Cheguei, já de noite, esfomeada e zonza com tanta curva.
Encontrei o Luís, um rapaz de Lagos e juntamo-nos para viajar uns dias.

No dia seguinte, com muita calma fui absorver a energia de El Nido e perceber porque é que aquele lugar minúsculo é tão amado por todos os que lá põem os pés. Caminhei na praia principal, onde estão os restaurantes e bares e comecei a ver o que queria fazer nos dias seguintes. Nessa tarde, fui até Las Cabanas, a minha praia favorita em El Nido onde o pôr-do-sol é memorável.

Escolhemos duas tours, A e C. São as mais conhecidas e as preferidas, pois a paisagem não é tão repetitiva. Todas as agências/bares/hostels vendem o mesmo trajecto, com os mesmos horários e incluem um delicioso churrasco, o preço não varia muito mas depende, mais uma vez, da nossa capacidade de negociar.
Também há a hipótese de alugar um barco e ir só aos sítios que se quer ir.

Comecei pela tour C e só depois fiz a A.

Assim que o barco se começou a afastar da vila comecei a entender a paixão assolapada por este lugar. Uma mistura de Halong Bay e o sul tailandês com sorriso filipino, imagem de marca deste país.
 Ao longo de dois dias encontrei lagoas secretas entre escarpas de rocha negra e água morna transparente, ilhas selváticas com praias de areia branca, explorei um lugar sagrado que foi construído em honra da Virgem Maria que tem uma vista incrível e que, actualmente, está abandonado. Mergulhei em spots cheios de coral, não tão coloridos como na Tailândia mas igualmente bonitos. Tive alegrias subaquáticas (nemos, peixinhos coloridos e estrelas do mar). O almoço a bordo é o melhor do mundo em todos os aspectos. Diverti-me muito com o pessoal do barco e apaixonei-me milhões de vezes pela paisagem e pela cor da água.
Confiram pelas fotos porque serei sempre injusta ao tentar descrever a beleza deste lugar por palavras.
Deviam mudar o nome de El Nido para El baNdIDO (ahaha).

Os lugares por onde passei e que estão nas imagens são: Las Cabanas, Secret Lagoon, Shimzu Island, Small Lagoon, Big Lagoon, 7 Commando Beach, Helicopter Island, Tapituan Island, Matinloc Island (a verdadeira inspiração do The Beach), Star Beach e Matinloc Shrine.
- as imagens não estão exactamente por esta ordem -


 

























































Despedi-me de El Nido com o coração cheio com tanta paisagem linda.
Daí parti em direcção a Port Barton, uma surpresa em Palawan e nas Filipinas.

Port Barton é daqueles lugares que estão parados no tempo. Não há estradas alcatroadas, tem poucos restaurantes e meia dúzia de guesthouses, a electricidade funciona poucas horas por dia e os morcegos são verdadeiros batmans. Dos viajantes que lá param a maioria é israelita.

Quando lá cheguei, procurei uma guesthouse e fui-me deitar ao sol. Mas o sol durou pouco e caminhei pela praia. Ao fundo da praia havia uma floresta de manguezais e muito lodo, devido à maré baixa. Encontrei uma casa de madeira que estava à venda, tirei o número só para o caso (ahahha).
Como o tempo não estava para banhos de sol, voltei para casa e deitei-me na rede a ler e a pensar no próximo destino.  

Durante os dias que lá estive houve um festival da escola primária, fui assistir ao espectáculo com duas belgas que partilhavam comigo o quarto. No dia seguinte fomos para a selva fazer uma caminhada de duas horas em busca de uma cascata. No caminho passamos por algumas pessoas que nos iam indicando o caminho, apesar de ele estar marcado. Quando encontramos um senhor a vender fruta decidimos comprar algumas bananas para o caminho e perguntámos qual era a possibilidade de vermos macacos. Ele, a rir, disse que ali não havia macacos. Mas quando estávamos a voltar da cascata, vimos uma família deles!! A Salem tirou fotografias e quando encontrámos o senhor fomos lhe mostrar. Chamou a mulher e o vizinho e abanavam a cabeça, a rir, que não era possível. Mas, efectivamente, fotografamos macacos.
Quando chegámos à praia vimos um pôr-do-sol magnifico.
Senti-me mesmo muito agradecida pela minha viagem e pela vida toda.

Adorei a vibe de Port Barton e foi com tristeza que segui caminho para Puerto Princesa para voar para Boracay. A minha última paragem nas Filipinas.

beijinhos



















Share:

8 comentários

  1. Quando fizer a minha viagem pelo SA já sei onde vou começar a pesquisa. 😁 Que maravilha de fotos, paisagens, praias… Que maravilha de vida e de experiênci!… 😌

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahaha posso-te dar muitas dicas Sarinha! beijinho

      Eliminar
  2. Ok ok, estou pronta para arrancar :D não vejo a hora de meter os pés nas filipinas, quero fazer um curso de mergulho por lá e explorar barcos naufragados. Pelas tuas palavras meu deuuuuusss este país é mesmo o paraíso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fiz snorkeling num e é wow em vários sentidos. Assustador e divertido por ser uma coisa diferente, adoro as Filipinas. adoro adoro adoro e tenho a certeza que também vais adorar

      Eliminar
  3. que lugar lindo ♥ pelas fotos já dá muita vontade de visitar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ba, é um lugar imperdível! se tiveres oportunidade vaaai

      Eliminar

i heart you.

K.

© K A R K O V A | All rights reserved.