mochilão #13 // PACHAMAMA

Da América do Sul não consigo esquecer as paisagens. O dramatismo das montanhas e dos vulcões, o silêncio dos desertos, o frio e o calor, as cores da natureza. Não consigo dizer um lugar onde não tenha ficado de boca aberta a absorver o que me rodeava. 

Só queria esquecer o drama peruano mas com tudo o que li e ouvi sobre a Bolívia a esperança estava a bater no fundo. Já estava por tudo; as fotografias e a câmara foram roubadas, o Perú odiou-me e estava a ficar cansada de andar sempre de um lado para o outro. Precisava de parar um bocado, ouvi o corpo e saltei a visita ao Lago Titicaca, que estava no plano, e fui directamente para La Paz.

A minha ideia de La Paz era uma favela gigante e horrível onde o crime está por toda a parte. Não é a capital do país mas é mais conhecida. Foi o meu descanso antes de partir em direcção ao Salar do Uyuni.

Confesso que quando atravessei a pé a fronteira entre o Perú e a Bolívia respirei de alívio. Entrei no autocarro e aconcheguei-me no banco. Já estavamos a caminho da cidade quando afastei o cortinado e olhei para fora. A paisagem era diferente, as pessoas eram diferentes, os edifícios degradados com cores que outrora foram vibrantes estavam ao abandono, as ruas estavam sujas. Para além disso estavam totalmente consumidas pelos placards das eleições. O autocarro parou num cruzamento e reparei em duas pessoas que estavam na estrada de cara tapada, com aqueles gorros de neve. Uma delas era uma criança. Essa mesma criança fez-me um gesto de uma arma e ''disparou''. Se calhar estava mesmo a chegar ao fim do mundo, ao crime total.

La Paz é gigante e à chegada somos engolidos por ela, literalmente. É incrível a vista, o aglomerado de edificios, o vulcão nevado lá ao fundo. 

Apanhámos um táxi no terminal directas para um hostel bem localizado.
Só precisava de descansar. Arranjei um mapa e decidimos o que queríamos ver e fazer. Uma visita relaxada ao Mercado de las Brujas era indispensável. Decidimos não fazer nada de mais, só caminhar pelas ruas. O que se tornou bastante difícil, visto que é uma das cidades mais altas do mundo e o efeito altitude estava a bater forte. Variámos o passo entre o devagar e o devagarinho enquanto comíamos rebuçados de coca. E assim foi durante os dois dias que estivemos nesta cidade. Tudo muito lento. Aproveitámos o mercado para ser consumistas, visitámos igrejas e fotografei o que consegui (o pessoal da cidade não gosta muito de ser fotografado, por isso tirei umas quantas à socapa, quebrando um bocado as regras de boa conduta do viajante). Afinal a cidade surpreendeu-me pela positiva. Afinal conseguimos nos manter seguras numa cidade que é muito insegura. Apesar da polícia nos ter assediado um par de vezes e termos sido perseguidas por um tipo.

Ao fim do segundo dia fomos de night bus para Uyuni onde dávamos inicio a uma viagem de três dias com final em São Pedro de Atacama, no Chile. 

Excitadex total!!

Chegamos com o sol, bem cedo. A maioria das agências está em La Paz e, dependendo do nosso jeito para negociar, conseguimos melhores preços por lá.  Procuramos a nossa agência e tratamos do que faltava, deu-nos o pequeno-almoço e uma hora para visitarmos a pequena cidade.

As viagens são feitas em jipes 4x4. O grupo era fantástico: duas portuguesas, um japonês que não falava inglês, um galês que vivia na austrália e um casal de bolivianos. O condutor também era boliviano. Embora parecesse tímido, fiz-lhe tantas perguntas que ele acabou por deixar a timidez de lado e contar-nos tudo o que sabia acerca dos lugares por onde passámos, incluindo as lendas. O casal, como era boliviano, também sabia muita coisa e ajudava a ligar as peças. 
Foi muito divertido e interessante.
As cores das lagoas, os desertos de sal e areia, as montanhas, os geysers a 4900 mt de altitude, os cactos, o hotel de sal onde dormimos, os flamingos, as plantações sem fim de quinoa, o cemitério de comboios e o céu mais estrelado e lindo que alguma vez vi.
Tudo isto e muito mais.

Ina-cre-di-tá-vel


Não consigo descrever a beleza da paisagem por isso deixo-vos fotografias.
Neste caso , as imagens valem mesmo por mil palavras.
Pachamama significa Mãe Terra. Com energia Feminina é uma deusa-força-energia que produz e reproduz. É ''venerada'' na zona dos Andes – peruanos, bolivianos, extremo norte chileno - e há muitos mitos relacionados com ela. Quis saber a opinião dos da casa e, na última noite, quando estavamos na rua à caça de estrelas cadentes, surgiu a conversa. Falaram-me dela como quem fala da matriarca querida da família, falaram com carinho e respeito. A beleza que vemos é impermanente e está em constante mudança temos, acima de tudo, respeitá-la. 

Ali a Natureza é amada de verdade.

A viagem acabou em São Pedro de Atacama, no Chile. As diferenças entre os dois países são gritantes. Desde a fronteira às estradas. Continuamos em modo aventura e fomos ao Valle de la Luna e Valle de la Muerte. Há muito mais para fazer na zona, mas como tinhamos acabado de fazer uma viagem de três dias por salares, desertos e lagoas concordámos que seria um pouco mais do mesmo mas com preços mais salgados. Daí voltámos para Santiago onde ficámos mais cinco dias, disfrutando da companhia de amigos e a descansar antes de voltar para Portugal.




e assim foi a América do Sul.
dois meses e meio de natureza incríveeeeeel.

podem ler todos os posts desta viagem:

beijinhos
Share:

10 comentários

  1. Whoa, o Chile parece um outro planeta utópico, que coisa LINDA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é lindo mesmo! não há palavras para descrever

      Eliminar
  2. Todas as fotografias são absolutamente incríveis! Dão meeesmo vontade de ir ver pessoalmente todos os sítios por onde passas.
    Sigo o blog há algum tempo e adoro os teus diários de viagens, e repito, as fotografias! Que maravilha.
    Mesmo com viagens atribuladas (como tiveste alguns incidentes chatos), no final vale tudo a pena e ficam as histórias para contar e recordar. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Rosana :) Volta sempre, ainda tenho muitas histórias para partilhar e muitas imagens lindas também
      xx

      Eliminar
  3. Eu sou suspeita mas não me canso de olhar as fotografias fantásticas com uma beleza incrível e ao ler fico com uma sensação de sentir as mesmas coisas que tu!!tu és fantastica parabéns filha beijinhos

    ResponderEliminar
  4. As fotos estão incríveis, mesmo de tirar a respiração. Que vontade de pegar na mochila e ir :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que bom as minhas imagens te fazer sentir isso!! Assim que tiveres oportunidade pega na mochila e vaiii :) xxx

      Eliminar

i heart you.

K.

© K A R K O V A | All rights reserved.