mochilão #8 // PUNTA DEL DIABLO :: LA PEDRERA :: MONTEVIDÉU






Voltámos a Castillos, o nosso ponto de passagem, para decidirmos para onde íamos a seguir. Basicamente era para onde fosse o autocarro seguinte, estava na fila e sorte a nossa: Punta del Diablo sale en 20 minutos.

Encontrámos um grupo de israelitas que tinham estado connosco em Cabo Polónio e um deles perguntou-me para onde íamos. Eu disse-lhe para onde o próximo autocarro nos levasse. Ele respondeu: boa, boa. Nós vamos também. 
Fomos todos para Punta del Diablo. 

Há chegada não tinhamos nada planeado, uma rapariga perguntou-me se tinha hostel. Disse-lhe que não e dei-lhe uma oportunidade. Disse-me que ela e o namorado tinham um hostel e que tinham boleia até lá (estavamos a cerca de 10 minutos de carro da vila). Perguntei o preço, estava óptimo e aceitei. Perguntou-me porque falava tão bem espanhol, disse-lhe que tinha estado a estudar em Barcelona e ela mandou um gritinho. Era de Barcelona e mudou-se para o Uruguai por amor. Aaaaw 

Ficámos no hostel deles, super queridos e super gente boa!! A malta que lá estava também era fixe e estávamos muito perto da praia. 
Pousámos as mochilas e toca a correr para a praia. Mais tarde caminhámos até ao centro da vila, onde encontrei uma livraria (yeaay, nesta viagem ofereci-me um pequeno livro de cada país) e uma empanadaria com as melhores empanadas de camarão e queijo de sempreeeeee. Fiquei mesmo fã deste petisco. 

Fomos passear pelas praias da costa com uma sueca que conhecemos no hostel, andámos de peixeiria em peixeiria a ver qual seria a melhor ementa para o jantar (acabei a jantar arroz com tomate e cogumelos, booooring) e a ver as lojas de artesanato. 
Ficámos por aqui uns dias e fomos para outro lugar, La Pedrera. 

Também chegámos de autocarro e tive a certeza que toda a zona morre na época baixa. Não vimos ninguém durante algum tempo, mesmo quando encontrámos um hostel. Entrámos, pousámos as mochilas e uns 15 minutos depois lá encontrámos alguém. Ficámos num hostel bastante chill out, no bosque perto da praia. 

Mas na realidade queriamos conviver e não havia pessoas, os restaurantes estavam fechados e a água da praia era fria. Decidimos ir embora ao fim do segundo dia. 
Presumo que esta zona, que é lindissima, seja entusiasmante no verão e por isso fica na lista para voltar noutra altura do ano. 

Hora de partir. 

Os horários dos autocarros não estão certos, nada funciona. 
Mas conseguimos, com a ajuda de um tipo cinco estrelas, apanhar o transporte para chegar a Montevideo. 

Quando chego a uma grande cidade, tenho o cuidado de ter uma noite reservada em qualquer lado. Não só pelo facto de termos uma morada para ir como também não perder tempo útil à procura. Ficámos numa zona boa em Montevideo, em Pocitos. Lembrava-me Copacabana. Ficámos a cinco quadras da praia. Na primeira tarde ainda tivemos a curtir um pouco a praia, na manhã seguinte decidimos caminhar até ao centro da cidade. 
Não sabiamos é que eram 12 km, uma longa avenida costeira. E fizémo-la duas vezes. De havaianas. 
Estou certa que se tivessemos cortado esta experiência não encontrávamos metade das coisas giras que encontrámos. Por isso valeu muito o esforço. 
Montevideo é uma cidade em franca expansão e foi uma excelente surpresa. É uma cidade que conseguiria viver, tranquilamente. 

Fotografei imenso. Encontrei tantos pormenores interessantes e fotografáveis que estava encantada. Perto do centro encontrei uma livraria, daquelas grandes com tudo. Entrei, porque procurava um mapa de parede da zona (eu disse-vos que amei não disse?) não encontrei o mapa (encontrei noutro sítio) mas ganhei um amigo. Fiquei muito tempo à conversa com o senhor, parecia que estava a falar com um português. Falava-me de Montevideo com brilho nos olhos que comovia. Falava do rio, da luz e da brisa que sente quando vai à janela. Falava de um país que está a sentir a crise argentina mas que quer crescer como destino turístico na América Latina. Mas falava-me, principalmente, com saudade de um tempo que ainda não aconteceu. Falei-lhe disso e ele respondeu-me: tenho em mim uma costela portuguesa, ainda não perdi a esperança de conhecer o país dos descobridores. 
Na despedida, ressalvou o tango nasceu aqui não acredites nesses argentinos. 

Fui a sorrir com o coração cheio de amor por este país e por todas as pessoas que se cruzaram comigo até então. 

No dia seguinte partimos para Colónia del Sacramento. 

//

Back to Castillos, to decide where to go next. Basically we would go to wherever the next bus takes us, so there I was waiting when all of a sudden: Punta del Diablo sale en 20 minutos (20 minutes to Punta del Diablo).

We found a group of Israelites that we'de met in Cabo Polónio and one of them asked where'd we go next. I told him, wherever the next bus goes, and he was like, oh nice we're going too then. So there we all went to Punta del Diablo.

When we arrived we had zero plans, a girl asked me if I had hostel. I said no, her boyfriend and her owned an hostel and they could take us there (it was like a 10 min ride to the village). Asked the price, was fine, so I decided to give it a shot. She asked me how was my spanish so good, I told her that I had studied in Barcelona. Her eyes began to shine as she said she was from Barcelona and had moved to Uruguay for love. Aaaaaw
We stayed on their hostel, amazingly sweet people!! Besides it was right by the beach.

We got our backpacks on and ran to the beach. Later that day we walked to the village center, where I found a bookshop (yaaay, this time I gifted myself a book from each country) and a empanadaria with the best shrimp and cheese empanadas evaaah!! 

We stayed here a few days and then went to, La Pedrera.

Just as the bus arrived I had the feeling that the place dies in the offseason. Didn't see a soul for a while, even after we got in a hostel. Well, might as well drop the backpack, wait and rest a bit, after 15 min the owner showed up. The hostel was pretty chill, in the woods right next to the beach.

It was cool and all, but in reality we wanted to meet people, and there was none, closed restaurants, coldwater. Yap, we were out of there in the second day.

I assume this place, which is beautiful, is a lot more enthusiastic in the summer so it goes to the come back in some other time list.

Time to go.

The bus schedules were all wrong, nothing works. We managed, with help, to find transportation to Montevideo.

When I go to a big city, I always book one night in some place. Not just by the fact of having an adress to go to but also not to loose time looking for one. We stayed in a pretty nice area in Montevideo, Pocitos. It reminded me Copacabana. The beach was four blocks away. In the first day we decided to chill at the beach, but in the next morning we were gonna walk to the city center.
What we didn't know was that it was a 12 km walk, a long avenue. Which we did twice. With havaianas. (I know right?!)

Although i'm sure if we didn't go we wouldn't find half of the amazing stuff that we found. So in the end it was worth it.
Montevideo is a growing city a it was a really good surprise. It's a place were I see myself living in.

Took a lot of pictures. I found so many interesting details to photograph, I was amazed. Somewhere near the center I found a bookshop, a big one with lots of stuff. I went there looking for a wall map of the city, didn't find the map (got it someplace else) but I did find a friend. There was this gentleman which i spent hours talking to, it was like talking to a portuguese. He told me about Montevideo with such glow in his eyes that moved me. He told me about the river, the light and the breeze that we feel standing by the windows. He told me of a country feeling the argentine crisis but with the will to grow as a turistic destination in South America. He was speaking with a sense of a time that was yet to come. I told him that was very portuguese, he said: I have a portuguese rib, and I haven't lost the faith to visit the country of the discoverers.

When we said good bye he stated, tango was born here don't believe on those argentine. There I went, smiling with a heart filled with love for this country and all of it's people.

The next day we parted to Colónia del Sacramento.






Share:

3 comentários

  1. que viagem linda! todo o encanto desvendado nessas fotografias. um beijinho :)

    ResponderEliminar
  2. Excelente descrição da tua viagem e as imagens estão lindíssimas e transparecem bastante bem a descrição que nos fizeste.
    Obrigada por partilhares connosco esta tua "aventura".
    Eu gosto mais de embarcar numa viagem já com tudo definido.

    Beijinho e boa semana
    http://blogmacaecanela.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. " o que falta em juízo, sobra em amor" :) nem mais, e que bom que é!

    Fotografias deliciosas, como sempre...é uma maravilha vir aqui, saímos sempre a sonhar com paisagens fantásticas :) *

    ResponderEliminar

i heart you.

K.

© K A R K O V A | All rights reserved.